segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Ir à terrinha.

Classificação: Bah!

Váaaa, só me chateava ter os quatro canais públicos na TV (que são uma autêntica bosta principalmente à tarde) e a quantidade absurda de melgas mutantes que resistem ao Dum Dum. E fazer equipa com a priminha para passar vistoria às camas antes de deitar em busca de aranhas refundidas e outros bichos que tais (até um grilo apareceu entretanto). Ah, e o ressonar colectivo da família, que se propaga tãoooo facilmente pelas paredes de uma casa centenária. E a adolescência parva de alguns dos priminhos mais novos.
Ainda assim deu para descansar na cama-rede, ir correr um bocado (quer dizer, correr um pouco, andar, correr de novo, andar andar andar andar e correr), curtir a Feira Medieval, fazer jogatanas com a primalhada madrugada adentro, visitar a família toda e andar com o priminho-alemão-batoquezinho ao colo até ter os braços em gelatina.
Soube que nem ginjas. Literalmente. Andei a beber ginjinha (home made, família prendada) até tresandar a taberna.
Acho que ainda cheiro.

5 comentários:

  1. Ehehehe! Eu nem posso visitar a família. Andam sempre à cacetada! Era má ideia! :D

    ResponderEliminar
  2. Confirma-se, ainda cheiras um bocadinho. Aliás, assim que entrei aqui no blog, dei logo pelo cheiro..

    Bela imagem! :P

    ResponderEliminar
  3. Pois por estas bandas ninguém tem terrinha. O mais longe das minhas origens é Oeiras!!!

    ResponderEliminar
  4. Nós queixamo-nos mas no fundo até sabe bem. Também passei uns dias na terrinha e não foi muito diferente, principalmente a parte de procurar por bixinhos pela casa - ahhh viva o campo!

    ResponderEliminar