segunda-feira, 30 de abril de 2012

Que só agora alguém me ache "interessante".

Classificação: Ah bom!

Mais vale tarde que nunca, possa!
Até que enfim, alguém que conseguiu ver além do ar tresloucado e se apercebeu de todo o fabuloso potencial que me brota... de todo o lado. Sei lá.
As piquenas ambrósias do em-super-rampa-de-lançamento Studio11 iniciaram uma rúbrica semanal chamada Style-id, em que pegam numa pessoa interessante (foram elas que disseram, não eu!) e vestem-na com qualquer coisinha more flattering para a sua silhueta.
E quem foi a primeiríssima pessoa interessante? Ah poizéeeee bebéeeeee! C'est moi, Leclerc!
'Tou toda orgulhosa. Delas e de mim. Delas porque, apesar da crise, o projecto tem boas pernas para andar (as delas, obviamente). E de mim porque até pareço uma fashionista! Só me faltam as 82645 visitas diárias no blog.

domingo, 29 de abril de 2012

Quando é o paizinho a fazer as compras.

Classificação: Eia Jasua!
Porque o senhor tem um caso complicado com iogurtes e papel higiénico. Parece que nunca são demais.

sábado, 28 de abril de 2012

Que mandem coisas minhas para o lixo só porque sim.

Classificação: Ó para o touro a dar de si! Fujam!

Não sei se é de mim, ou se anda mesmo tudo PARVOOOO!
Estão a ver aqueles objectos que guardamos que não têm qualquer valor monetário mas que nos arrancam um sorriso sempre que para eles olhamos, pelas memórias que evocam? POIS. E quando olhamos para o sítio onde estão colocados há ANOS e notamos que não estão lá mais? POIS CLAROOOO...!
Quando algo do género acontece as justificações conseguem atingir de tal modo o ridículo que faz com que as minhas reacções variem entre o risote nervoso e psicótico e o mandar-me para o chão no maior pranto.
Acho que o exemplo mais estúpido de que tenho memória foi quando a mãezinha (POIS CLARO!!) me deitou fora a esponja do banho. "Ahh, pensei que não a usavas, nunca te vi com ela!". Que cabeça a minha, esquecer-me de a convidar para assistir ao Project Hygiene que passa diariamente no WC.


Daí hoje estar literalmente pissed off. Algo de que eu gostava MUITO e tinha uma mão cheia de significado foi parar ao aterro e estou mesmo a roçar a loucura irracional de tentar partir tudo em volta. E mesmo depois de um passeio de 5h ainda me estou a bufar toda e a largar fumo.
Por isso sim, estou irritada hoje.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Ser alérgica a um qualquer mosquito.

Classificação: Again?!?

Já toda a gente teve o azar de servir de manjar a bichos irritantes como melgas e companhia. Raramente há ano em que escapemos e que não fiquemos com uma baba ou outra nalgum sítio do corpo que tenha ficado a descoberto durante a noite. E lá vivia pacatamente com esta realidade, até que há uns dois ou três anos um qualquer desses bichos me picou alegremente a mão esquerda. E a mão progrediu rapidamente para mascote da Michelin. O inchaço ia ganhando terreno pelo pulso fora e fiz tal alergia à picada que não houve cremes nem anti-histamínicos que me valessem, só com antibiótico e ao fim de uma semana e meia é que a coisa lá mirrou como um soufflé. E a vida voltou à normalidade.
E quem foi o desgraçado que voltou para comemorar a estreia de "Avengers" como manda o figurino? O primito ou irmãozito do cabronzito. Em que local do corpo? Na mesma f*cking mão! Resultado? Potato-hand all over again!
Aaaahh..... porque é que não acho isto estranho...
O que me aborrece mais nisto tudo é as saudades que me traz do kickboxing. Ter uma luva de boxe au naturel tinha-me dado um jeitaço nos treinos.

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Não haver fogo de artifício todos os dias.

Classificação: uUuuuUuuuHH SHINYY!

Se há coisa que eu cá gosto é de foguetes! FOGUETEEEEES! É a única coisa que me faz festejar a passagem de ano e fiquei tão feliz ao aperceber-me de que ia haver espectáculo na terra do senhor namorado para comemorar o 25 de Abril (e dizem que a acompanhar deu o "Grândola, Vila Morena", eu devia estar noutra estação de rádio que não ouvi nada). Trespassa-me um arrepio pela espinha que fico a pensar se é da emoção ou se fiz xixi pelas pernas abaixo. Por causa da emoção. Por isso é ela por ela.
E acho, sim Sra., que devia haver fogo de artifício todos os dias para celebrar as pequenas coisas do quotidiano.
"Ei, o preço da gasolina aumentou............. mas podia ser pior! Podia estar mais cara!!! É caso para celebrar! Vai buscar a bazooka e as purpurinas!!".

Acho que descobri a minha vocação.
Finally.
FOGUETEEEEES!!!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Pessoas com a voz muito fininha.

Classificação: Bitch, please...

É tão, tão, mas TÃO difícil para mim manter uma conversa com alguém que pie fininho. Leva-me a pensar se foi o karma que o pôs a falar assim, se essa pessoa terá um torniquete à volta dos tomates e, se por ventura lhe desse um tiro no pé, ficava a falar como um civil normal.
Se bem que mau mesmo mau é quando essa pessoa além de soar como um periquito, fala também com um tom muito, muito, muitoooo simpático e super amável. E com os olhos muito abertos e redondos e nunca desvia o olhar. É nessa altura que nos apercebemos que estamos num filme de terror, que essa pessoa nos vai estripar e por isso mais vale correr até à varanda mais próxima e lançarmo-nos à Pocahontas. Que, de certeza, estará um colchão lá em baixo para nos amparar.
Tem de estar!

domingo, 22 de abril de 2012

As declamações de poesia da mãezinha.

Classificação: Oh dear God...

Para o que eu havia de estar guardada...
Deu recentemente à sôdona mãezinha uma das habituais travadinhas que a faz andar a recitar poemas pela casa. Quer dizer, não são vários, é sempre o mesmo. Chama-se "A Nau Catrineta" ao que parece. E para a coisa ter mesmo impacto, tudo é acompanhado de uma mímica que se assemelha aos teatros de criancinhas da pré-primária para dar um ênfase bonito à situação. E o que a senhora vibra quando discursa enfaticamente, Jesuaaa!
Público preferido? Está-se mesmo a ver, né? Quantas vezes não me veio entoar para cima "Lá vem a nau catrineta, blá blá blá, histórias para contar, ouvide senhores, etc e coiso e tal". E torna-se mesmo bizarro quando chega à parte de uma qualquer dama "lançar os olhos ao mar" com a gesticulatura a condizer. Creepy sh*t, crazy lady... That's my mom!
E assim do nada, voltei aos tempos de jogar às escondidas. Só que é sempre ela a procurar.

sábado, 21 de abril de 2012

Ir ao canil.

Classificação: Que aperto no coração...

Não é bem qualquer canil, refiro-me aqui à União Zoófila de Lisboa. A minha amiga de longuíssima data S. apadrinhou pela segunda vez um cão abandonado (Ruca, a.k.a. O histérico) e fiz-lhe companhia uma vez mais no passeio de fim-de-semana do bichano. Normalmente fico à espera na rua que ela o vá buscar e pôr à sua box, mas desta vez ela lá me convenceu a acompanhá-la. Não foi a primeira vez, não acredito que seja a última, mas BOLAS, como odeio entrar naquele sítio.
O ladrar em uníssono, o ganir que se consegue sobrepor aos latidos, o cheiro das "casinhas" onde estão literalmente amontoados, e principalmente os olhares... Oh Jesus, os olhos que nos fixam e que imploram que os levemos para casa.
E irrita-me tanto que:
- haja gente que tenha sido capaz de os abandonar. Haviam eles de ser largados num beco escuro a ver se achavam divertido;
- não poder trazê-los comigo. Mãezinha com fobia a cães e alergias a gatos;
- estar tão falida que não dê para apadrinhar também uns quantos, para terem os cuidados que merecem.
E juro (mas é que juro mesmo) que quando tiver o meu próprio ninho hei-de ir buscar o cão mais velho e deficiente que lá estiver. Os novinhos e bonitinhos lá conseguem ser adoptados e, neste caso, ainda bem que tenho a tendência de gostar dos escafiados. Também merecem uma última oportunidade, right?

E se tiver meios para isso, levo dois.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

Ainda a saga da tattoo igual.

Classificação: Still.

Ainda estou demasiado furibunda para me debruçar sobre outro assunto, que este ainda me está a consumir BASTANTE os nervos e a sanidade mental em partes iguais. Às 6:30 da matina ainda estava às voltas na cama a pensar em tudo o que lhes vou gritar naquelas cabeças enquanto lhes parto as perninhas, e quando algo me tira o sono... Aiii estamos mal, estamos.
Além de não só ir lá falar com eles (respondendo aos comentários) para exprimir todo o meu descontentamento e furibundice, vou exigir que retirem qualquer foto que tenham minha do portefólio e, se alguma vez lá voltar com algum projecto, máquinas fotográficas NEM vê-las! E o meu lado biaaatch está a gritar por vingança e machados e afins, mas vou tentar manter a classe. For now.

E encontrei uma imagem - não da minha autoria - que retrata bem o meu humor desde ontem.

E atenção que só pondero lá voltar porque eles são muito, muito bons. E em Portugal não arranjo melhor. E eu quero e mereço o melhor, tenham eles moral ou não.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

TATTOO IGUAL?!? Seriously???

Classificação: Eia 'tou tão f*dida que se o blog fosse físico estava desfeito em #%§#%!!

MAAAAAAAN....... estou com todas as veias da cabeça e pescoço tão salientes que não só se vê o pulsar do sangue como dá para o OUVIR! No raio de um quilómetro!! I'm THAT close to explode!!!
Não é que o meu há muitooo venerado estúdio de tatuagens, do alto do seu moralíssimo "todas-as-tatuagens-são-únicas-e-personalizadas-e-não-há-duas-iguais-porque-isso-é-foleiro" teve o DESDÉM de fazer uma IGUALZINHA a uma das minhas, que teve toda uma valente pesquisa por trás para ser (palavra de ouro e aqui altamente ignorada) ÚNICA?! E, pelo que consta, numa PUTÉFILA rasca de 3ªclasse?!
Perderam TODA e QUALQUER consideração que eu tinha por eles. Mas é que TO-DA. Não tivesse eu pago já o sinal da que vou fazer no início de Maio e ia lá partir-lhes os vidrinhos todos do precioso estúdio.  Mas parto-lhes quanto estiver de saída, por mim é igual.
E publicidade gratuita e encaminhar clientes para lá? Never again.

NINGUÉM ME VULGARIZA! NINGUÉM!!

E não, hoje não há imagem. Imaginem o ecrã partido, é mais ou menos isso que seria.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Música que não sai da cabeça #2

Classificação: Sai demónio, sai!

video
Oh, para o que me havia de dar! Eu que nunca fui grande fã de Blind Melon! E desde anteontem que ando pela casa a cantarolar a melodia (saber letras está quieta) e a estalar os dedos que nem uma cheia-de-pinta saída do West Side Story.
Nem me sinto propriamente feliz nem me cheira a Primavera, mas não dá para lutar contra estas coisas. I give up! Play again.

terça-feira, 17 de abril de 2012

Já não ter leitor de VHS.

Classificação: Sniff......

Verdade seja dita, contam-se pelos dedos das mãos quantas K7 sobram cá em casa. O resto foi ou para o lixo, já algo estragadas, ou para a terrinha dos avós para ganharem bolor mais depressa, depressinha.
Tenho um altar no meu quarto com a versão brasileira de 1989 d' "A Pequena Sereia", que não só vai sair dali por cima do meu cadáver como acho que vai para a cova comigo. E depois tenho mais umas quantas gravadas directamente da TV, filmes como "Aeroplano" ou "Ghostbusters", clássicos divertidos. E o que eu não adorava ver posteriormente a publicidade ranhosa que deu na altura em que se gravou aquilo! O horror, a pirosice! Ahh...
Mas agora... (/me suspira) na sala resta o leitor de DVD, todo delgadinho e elegante onde antes estava acomodado o batoque que era o de VHS.
E a saudade aperta.
So long, buddy. You'll be dearly missed.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Não ter o talento de: Jane Lui.

Classificação: Oh my god, the chills!

Man, os meus braços parecem braille. Seriously.
Nem era dos desenhos animados que mais via/gostava, mas a saudade está lá. E esta menina pôs-me os olhos a brilhar e levou-me à minha meninice em menos de 3 segundos. /me suspira... *.*

E já se começa a notar um padrão. Primeiro a Charlyne Yi, agora Jane Lui... sounds like an asian fetish, huh?

domingo, 15 de abril de 2012

Personalidades: Adele.

Classificação: Bitch, please...

Ainda nunca fiz um post sobre gente gorda, o que é um erro daqueles mesmo crassos. Mas lá terei de mencionar aqui antes a Adele, essa gorda-falsa.
Tralalá, a senhora canta bem, voz do ano ou da década ou whatever. Não ponho as suas capacidades líricas em discussão que de música pouco percebo, ou não chamasse eu "Tambor" a tudo o que faça Tum-tum-tum. O que me aborrece é a pançuda não se manter fiel à sua palavra de escuteira. Desde o início que foi bem clara quanto ao seu Jabba-the-hutt-state, que gostava muito de assim o ser e não queria por nada deste mundo emagrecer, queria ser reconhecida pelo seu talento e não seu pelo corpo formoso (até me arrepio com tanto disparate... adiante). E neste caso eu não teria nada a apontar, se ela quer ser um alvo para mil e uma doenças cardiovasculares e outras que mais é lá problema dela.
Mas agora a mademoiselle surge toda dengosa e a caber em vestidos que não foram comprados na zona de campismo da Decathlon. Lá percebeu que pode cantar bem e ter uma boa aparência em vez de andar ali a roçar esteticamente o nojo.
Ainda bem para ela, mas gosto cá pouco de gente pouco convicta daquilo que diz. Além de que já ficou catalogada na minha mente na pasta de "Gente gorda". Too late sunshine, fat will be fat.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Acordar com a marca de almofada na cara.

Classificação: Também tu, Brutus?!

Deve ser das poucas coisas que não nos deixam mentir. Não há como, está-nos estampado na cara. Literally.
- Juro a pés juntos que estou levantada desde as 6H30! Já fui correr 4km, limpei a casa toda e até pintei as paredes da sala de begezinho lindo!
- ... Sureeee you have!...

Almofadas: a denunciar-nos desde... que foram inventadas? Por aí, sim.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Enganar-me a abrir as portas.

Classificação: D'OH!!

O que me vai na mente quando me aproximo de uma qualquer porta:
"Aquilo diz o quê? É um sinal de Pull ou Push? É Pull, acho que é isso. Pull, Pull... é puxar. Puxar não é Push, é Pull, empurrar é que é Push, que parece puxar mas é mesmo para nos baralhar. Ok, estás-te a aproximar, é definitivamente um Pull por isso é para puxaaar! Pull, Pull, não é Push, Push é para empurrar, não empurres, é para puxar. Que puxar não é Push, Push é para empu.."
Chego à porta e empurro.
Cheia de fé.
Fecho os olhos e penso: "Burra...".

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Gaivotas a... pairar.

Classificação: Talking about dumbness...

Dêem-me asas para ir para lá da linha do horizonte, para voar bem alto ou fazer razias à cabeça das pessoas na praia, para me aventurar por cima de terra ou de mar conforme me apeteça.
Dêem-me asas e eu, DEFINITIVAMENTE, não fico a pairar ao lado da ponte Vasco da Gama durante uma tarde inteira apenas... hanging' in there.
Ungrateful, lazy bitches. C'um raio.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Acordar com uma música estúpida na cabeça.

Classificação: Jeez!! Comeee onnnn!!


Não há muito para dizer.
Vou pôr a tocar música da bonita bem alto e colar a orelha à coluna. Pode ser que assim as vozes dentro da minha cabeça ou morram ou comecem a ter bom gosto.

domingo, 8 de abril de 2012

Dor estúpida na axila esquerda.

Classificação: Nãaaa.... não podeeee....

 
 A minha mãe ainda não conseguiu parar de rir. Is THAT stupid.
Como raio me ficou a doer a parte mais parva do corpo? Ora, é sabido que na Páscoa é altura de reunir a família e lá veio de avião a prima com o seu mais recente rebento. O rebento que se supunha ser um bebé de quatro meses era afinal um bacorinho de 8kg. Que gosta do quê? De colo, pois. Mas não é cá daquele colo manhoso sentado, é mesmo aquele de andar a cirandar e a bailar e aos pulinhos. Otherwise, there will be a HELL lot of screaming.
Como boa prima que sou, peguei na criancinha e lá passeei um pouco com ele (seguida pelos olhos lacrimenjantes da mãezinha, que já sonhava alto). E PIMBA! Distenção muscular no sovaquinho da menina.
Ninguém me tira da cabeça que é um sinal, uma das tais manifestações físicas do meu corpo que grita "Não te metas nisso, PÁ!".

E apesar de pesado, gosto muito do primito que é giro que se farta. Coisa mai' boa!

sábado, 7 de abril de 2012

A minha cara-metade ser um homem do lixo.

Classificação: True Story, bro!


A sério! Basta ver o vídeo e percebe-se logo porquê.
Não é o emprego de sonho que se quer para o nosso homem, mas recebe pontos pelo carácter.
Luv ya, babe!

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Esperar para comprar... e depois ser tarde demais.

Classificação: É o karma, eu sei...

História da minha vida. Adiar o momentoooooo até ao máximoooo eeeeeeee......PUFT! Cair de cara no chão.
O caso mais recente foi uma (p#%#&!!) de peça de roupa. Raramente fico demente por alguma coisa, mas quando fico..... ai Jesuaaaa, que até me dói respirar enquanto não a tenho. É como se a perna esquerda de repente mirrasse e ficasse um coto e se não tiver aquele trapinho rápido rapidinho a minha vida fica condenada e andarei manca para sempre. (Isto acontece, no máximo, once a year. Não me dá a travadinha muitas vezes.)
E pronto, vai para uns dois meses ou mais que vi o vestido parfait, que era mesmo um caso de assente-bem-ou-assente-mal-vai-ter-de-ser-meu-senão-eu-desato-às-cabeçadas-desenfreadamente-pela-loja. E resolvi, feita monga, esperar. «Fica para os anos», pensou a monga. «Quando estiver quase vou lá buscá-lo, que ainda tem um preço upa upa, puxadote».
Claro que na loja já só há o M/L.
E, como a monga tem uma fraca figura, vai coxear para toda a eternidade. E mal vestida ainda por cima e já não vai ser a rainha da noite no aniversário. Sniff.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Ser míope.

Classificação: Maçaaada...

Bien, a genética é tramada. Chega a madame, diz "vais ser pitosga porque eu digo que sim" e a sua vontade é feita sem grandes delongas.
Uso óculos vai para uma década, mais coisa menos coisa, se bem que utilizo maioritariamente lentes de contacto pois os óculos não vão com qualquer outfit. Ainda assim, tenho saudades da descontracção que é sair de casa a correr e sem pensar se estou a ver tudo focado ou não. Ou de não poder pernoitar algures espontaneamente por não ter trazido óculos na pochette e as minhas lentes serem descartáveis e não darem para o dia seguinte. Ou ainda de poder dormir (acidentalmente) uma sesta sem pensar na trabalheira que vai ser depois descolar as malditas do globo ocular. Ou, finalmente, poder esfregar livremente o olho sem a p#%$ da lente decidir ir para trás do olho, respondendo prontamente ao chamamento do Darth Vader para ir para o dark side.
Não hei-de eu ser uma pessoa maldisposta.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Roer as peles.

Classificação: Porcaria de hábito!

Enquanto pessoa nervosa que sou é claro que tenho uma ou outra manifestação física que indicam que estou a entrar em ebulição. Uma delas, que considero mais estranha, é coçar as clavículas a ponto de parecer que tenho a rashy chest. A outra, bem mais comum, é roer as peles das unhas até chegar ao tutano.
Enerva-me profundamente a involuntariedade da coisa. Quando dou por ela já tenho o polegar a latejar, e só aí reparo que também já passei vistoria aos outros dedos todos. E aos antebraços e cotovelos.
O pior de tudo? É estragar e desfiar 217 pares de collants por ano. Hate it.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Quem é contra os nomes das filhas da Luciana Abreu.

Classificação: Come on, don't be all bitchy!

Ei ei ei! Antes que me comecem a atirar com pedras, deixem-me lá defender a causa primeiro!
Não estou a dizer abertamente que gosto dos nomes das pobres crianças, que realmente roçam bastante o hediondo. Lyannii até pode parecer algo sonante e digno de um conto de fadas da Bielorússia, mas Lyonce já cheira a vilã matrafona. Da mesma fábula do anterior.
Só defendo a veia criativa deste casal (que está evidentemente cheia de surro por dentro) porque nos abriram a porta para o mundo dos nomes "escasitos" para dar aos filhos. Eu sei que puderam dar nomes feios às miúdas porque ele é lá de terras longínquas e portanto pode, mas acalentou-me a esperança de um dia também eu poder atribuir à minha cria o que me der na real gana.
Se bem que me devo ficar com algum nome clássico, old school. Talvez Hakuna Matata para menino.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Remelas.

Classificação: Blerk!

Primeiro que tudo, descobri agora mesmo que é "remela" e não "ramela", que é como tenho dito a vida inteira. Parva.
Segundo: fosse eu um dos três porquinhos dos contos para crianças e a minha casa teria sido feita à base de remelas. Além dos meus canais lacrimais serem uma fábrica de produção inesgotável desta nhanhinha, as minhas (pelo menos pela manhã) têm uma consistência semelhante a argamassa que até a mim me surpreende.
Por fim, descobri também há bocadinho que, na Grécia antiga, ter grandes remelas significava ter um grande apetite sexual e era sinal de fertilidade, e por causa disso não lavavam a cara (by Wikipedia).
Classy. Adoro.

domingo, 1 de abril de 2012

Vírus no PC.

Classificação: /me rosna...

Mas QUEM são os filhos da P*TICE!!... as reais BESTAS... que acharam que era puro divertimento fazer/criar/produzir vírus para PC? WHAT'S THE F*CKING POINT?!?
E o vírus desta vez (desta, que há de tudo realmente) é bastante inventivo; um aviso que diz ser da polícia de segurança e o caneco de Portugal ocupa-me o ecrã todo, diz que me parou a maquineta por ser suspeita de produzir ou ver pornografias malvadas e que se eu enviar 100€ para uma conta qualquer que tornam a activar tudo outra vez.
Sounds legit to me
Que gente estúpida, pá. Mas mais burra devo ser eu, que volta e meia lá me aparece destas coisas. Mas deixar de ver o meu vídeo diário de pré-adolescentes a trocar carícias com animais da quinta é que não.